Até para o ano pessoal!!

31.12.09

 

Pois é minha gente estamos quase lá!

Só que antes de me ir embora, pus aqui a cabecinha a trabalhar sobre como havia de me despedir de vocês e, saiu mais ou menos isto;

"Grupo dos tímpanos bem dispostos".

É recém criado mas vai dar um grande show acreditem....

Eu sei que não ensaiamos, mas também quem precisa de ensaio com tantos artistas que temos aqui??

A Joana Flautista vai tratar dos arranjos, a Emanuela com o seu violão vai  abafar as desafinações, a Sorriso duplo vai ser vocalista, tudo o resto será coro, eu é claro, faço a festa deito os foguetes e apanho as canas!!

Então vamos lá!

 A Bichana vai ficar na linha da frente porque além de ser lindissíma, é dura de ouvido(nem o telemóvel me atende), a Ramo de cheiros claro que fica à frente também, tem uma voz muitooo sexy.

Todos prontos? Vá lá Cuidando de mim, ajuda aqui ....Don?t Worry Be Happy...ohoh Don't Worry Be Happy ohoh dont do it, lá lá la´.....vá lá em coro Isabel Tibéu, Immca, Aquariana, quero ouvir essas vozes...Não há há há estrelas no céu, a dourar o meu caminho, lá lá lá.... isso mesmo Estrelinha, grande voz Mário!! é isso ai, e de seguida, Bond thogether, Friens Forever, yeah! W'ell always be there, yeah! oh yeah....bora lá Cris, Tixa, Rosa, Perdida, Catarina Portela,.... Senhorita Bonita, senhorita bonita.....lálálá.....ó yeah Marta, Complicadinha, Ana Maria, isso mesmo. Á espera do Sol, talvez do luar, á espera da luz, para me iluminar.... Infinito mais além e Sonhar luz, huau.....Porque a vida faz-me bem, com tudo de bom que ela tem....hum, hum, Azul do Céu, Luís Joana, Cidália, agora, Blue Eyes, David, Tiger Katy, Siga Café...We are the World, We are the children, we are the ones....todos!!!

Just  Mafalda e Blessed, But you are not alone, I am here with you, you are not alone.....lindo!!

Que grande salgalhada ahahahah, já estou a ouvir as minhas Isabeis, "és mesmo doida Mãe".

E agora para acabar.....

Gente maravilhosa

Cheia de encantos mil

Gente maravilhosa

 

Lá lá lá Adoro-vos

 

Hip Hip Hurra

 

 

Feliz 2010 e até pró ano.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Subjectividades às 09:35

Espírito de Natal

28.12.09

 

 

 

 

 

Natal é tempo de afectos!

Está desvirtuado, é comercial, é consumo exagerado tudo bem, mas digam o que disserem Natal é tempo de afectos.

Eu gosto do Natal,  sei que não há famílias perfeitas, não há vidas perfeitas mas, há sempre Natal.

Gosto de oferecer prendas, gosto de cozinhar todas aquelas coisas que se comem ou não nesta época, até o frio naquela noite não me incomoda.

Gosto de estar com os meus, lembro-me sem duvida de todos aqueles que, de alguma maneira ou por alguma razão, não têm Natal mas, embora possa parecer egoísmo este Natal é meu, dos meus, da minha família.

Um Natal onde por felicidade, a tristeza não entra, onde ainda estamos todos juntos, pais, irmãos filhos, sobrinhos.

Natal é ouvir...

Que achas Isabel, estão boas as rabanadas?

Mãe, isto é para ti!

Madrinha posso dormir contigo?

Tia, obrigada adorei o presente!

Mãe, come do que eu fiz!

Isabel, os teus bolos de bacalhau estão uma delícia!

Madrinha anda jogar monopólio!

Tia, vais hoje para casa? Não? Fixe!

Tia fazes-me uma trança? Mãe, eu também quero!....

Natal é ter os meus pais à mesa, é entender os seus 50 anos de casamento, que celebramos todos no dia 23, é esperar que a minha irmã chegue, é ajudar o meu irmão,  beijar os meus filhos, é agarrar no telefone e ligar à família e aos amigos espalhados, e senti-los um a um.

Natal mais do que oferecer um presente é,  tempo, sorrisos, calor, amor.

Natal é pôr o coração em tudo o que se faz e que se dá!

Um de entre os muitos livros que recebi este Natal, foi o "Frágil" da Jodi Picoult que curiosamente tem uma citação de Wallace Stegner que reza assim:

« A maioria das coisas quebra-se, incluindo os corações. As lições da vida não se medem em sabedoria, mas em cicatrizes e calosidades»

Não há famílias perfeitas, não há vidas perfeitas, não há corações perfeitos mas, foi todo este conjunto de coisas imperfeitas,  que me fez sentir que, FOI BOM O MEU NATAL.

Espero de coração que o vosso também tenha sido!

publicado por Subjectividades às 12:37

Feliz Natal

22.12.09

natal-31.gif image by recadosanimados-religiosos

Gostava de ter tempo para ir aos vossos cantinhos desejar-vos um Feliz Natal mas como não tenho mesmo, deixo-vos um poema do grande Miguel Torga.

 

 

Velho Menino-Deus que me vens ver
Quando o ano passou e as dores passaram:
Sim, pedi-te o brinquedo, e queria-o ter,
Mas quando as minhas dores o desejaram...

Agora, outras quimeras me tentaram
Em reinos onde tu não tens poder...
Outras mãos mentirosas me acenaram
A chamar, a mostrar e a prometer...

Vem, apesar de tudo, se queres vir.
Vem com neve nos ombros, a sorrir
A quem nunca doiraste a solidão...

Mas o brinquedo... quebra-o no caminho.
O que eu chorei por ele! Era de arminho
E batia-lhe dentro um coração...

Miguel Torga

 

 

Um Feliz Feliz Natal a todos vocês que me acompanham por aqui.

publicado por Subjectividades às 15:21

Cheira a natal.....

21.12.09

486378.jpg image by southafrikanse

Já cheira a natal.....

Pelo menos neve já temos com fartura por cá!

Tenho andado numa correria que quase não me apercebi daquela magia destes dias.

O meu Natal começa depois de amanhã mas, ainda não me organizei.

Nem parece meu....este ano tem sido muito intenso!!!

Recheado de coisas boas, tem sido um bom ano mesmo, vamos ver como acaba

Um bom resto de dia para todos.

publicado por Subjectividades às 16:34

Para a Rosa

15.12.09

[cover thumbnail]

«Vendeu tudo o que possuía na Europa, para viver numa quinta na Selva Amazónica Peruana.

 

Tinha vacas leiteiras, cavalos, cães e muito para aprender num triângulo amoroso que, quase, terminou com a sua vida.

 

Tentou fugir, matou e morreu em actos de coragem, magia e terror.

 

Uma vida além da imaginação.»

 

   Olá Rosa.

Bom, prometi-te um comentário sincero acerca do teu livro e ele aqui vai.

Recebi ontem o teu livro, comecei a lê-lo depois do jantar e só parei no fim.

Não estava preparada para o que li digo-te muito francamente.

Hoje, fui rever a entrevista que deste à Sesimbra TV e, continuo por assim dizer estupefacta.

Sabes, é diferente de agarrares num qualquer livro  que, mesmo baseado em factos verídicos,  tem muito de ficção também. O autor é alguém  que não conheces de lado nenhum, o mais que podes saber é um pouco da sua vida e os dados pessoais que te disponibiliza a própria fixa do autor. 

Neste caso, eu não te sou próxima e vice versa, o nosso conhecimento vem do blog, és a infiel, mas isso dá-nos, uma certa  intimidade não diria, mas uma certa familiaridade e talvez por isso, ao ler o teu livro não posso deixar de comparar a Infiel que imaginei, com a Rosa de Sousa, logo, tens que ter em linha de conta que as minhas impressões extrapolam bastante aquilo que narras no livro.               

Vou começar pelo que mais me marcou.

«Não conto tudo o que passei mas, passei tudo o que escrevi.»

E eu pergunto-me como pode?? Como pode alguém e como tu dizes e bem, morrer tantas vezes? Em nome do quê, se opta pela autodestruição?

Foram estas as  impressões mais nítidas mais reais que a tua narrativa me suscitou.

Isto foi para ti Rosa, acredito que como pessoa espiritual que és, vais perceber que te estou a falar com o coração nas mãos e quero, ao mesmo tempo dar-te os parabéns pela coragem que tiveste ao contar a tua história, mas acima de tudo, por teres conseguido renascer e respeitares-te como pessoa,  tomar consciência de que és um ser humano que não tem só deveres mas  direitos também, e a grande missão que é comum a todos nós, ser feliz.

Para todos os outros que porventura leiam isto eu diria, leiam o livro, é muito interessante, tanto do ponto de vista humano como social. Tentem imaginar-se rodeados de toda aquela beleza selvagem, tentem vivenciar toda uma filosofia de vida diferente, reflictam  e como diz a Rosa e muito bem, tentem descobrir-se nele.

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Subjectividades às 13:35

Às vezes pergunto-me....porquê???

14.12.09

E isto agora, a propósito de mais um livro da Margarida Rebelo Pinto.

"O Dia em que te esqueci ", foi-me oferecido por alguém que sabe que eu adoro ler, alguém que me conhece bem e que sabe que já li grandes nomes da Literatura Nacional e Internacional desde clássicos a contemporâneos,  Thomas Mann incluído.

No entanto, se esse alguém não me conhecesse bem e tivesse recorrido  à critica literária e não só, teria fugido como o diabo da Cruz.

 

«A evidência empírica demonstra que quem lê autores como Margarida Rebelo Pinto, por sistema não passa mais tarde digamos a Thomas Mann.»

«Margarida Rebelo Pinto não escreve literatura, escreve entretenimento»

«O sucesso que ela tem, só espelha o país que temos, um país embrutecido pelo excesso de telenovelas, reality-shows, etc...»

« Margarida escreve "aquilo" que milhares de pessoas, estão dispostas a comprar. Um livro sem literatura»

«No caso de Margarida Rebelo Pinto o problema nem é o mercado ou a vida(antes pelo contrário). O problema é a escrita já para não dizer a língua. E esse é um problema que nenhum sucesso de vendas vai resolver»

São exactamente estes comentários que me levam a questionar-me porquê, para quê?

Porque é que as pessoas têm de justificar o próprio sucesso?? Será  a escrita ou o sucesso que incomoda os  intlectuais da nossa praça??

Muita gente deveria lembrar-se que o que é verdade hoje, poderá não o ser amanhã.

Porquê esta vontade toda de denegrir o que é nosso??

Num País onde  os manuais escolares chegam aos nossos filhos com vários erros de Português, num País sem grandes hábitos de leitura, num país onde os livros são caríssimos, num país que tem como norma copiar e achar bom tudo o que é estrangeiro há vozes que se levantam,  que criticam, que depreciam alguém que se atreveu a escrever sobre o microcosmos social, alguém que tem uma visão feminina da vida, alguém que nos faz a nós mulheres por vezes olhar para dentro de nós próprias??

Não é Literatura?? Que seja! Mas é caso para deitar abaixo para insultar inclusive os leitores fieis que ela tem??

Ler é também entretenimento, não tem que ser uma chatice, uma obrigação. E alguém terá alguma coisa a ver com aquilo que eu decido ler, e gosto ou não gosto??

Não estou aqui para defender a autora até porque ela não precisa disso, não estou aqui para incentivar ou convencer alguém a comprar o livro em causa, ou até as obras dela porque as vendas falam por si, eu por acaso até gostei do livro mas se não gostasse, poderia não falar bem mas, também não faria este escarcéu todo.

 " Esta carta foi um ajuste de contas, uma confissão, um grito de revolta, um lamento de tristeza. Quando a comecei a escrever....... Pode existir maior cliché?? Não, mas só quem nunca sofreu um grande desgosto de amor é que não sabe do que aqui falo.»

« O tempo foi diluindo a tua presença na minha vida. Quem sabe um dia também dissolva a tua imagem da minha memória e eu consiga finalmente esquecer-me de ti.»

 

Clichés, frases feitas, amor de folhetim e depois?? não existe tanta a gente que passou e passa por estas realidades, que se revê nestes cenários?....ridículos, são todos aqueles que nunca escreveram ou reflectiram sobre o Amor. 

Como escreveu Álvaro de Campos,

 

 

(Todas as palavras esdrúxulas,
       Como os sentimentos esdrúxulos,
       São naturalmente
       Ridículas.)

 

 

publicado por Subjectividades às 14:46

Acerca da paixão......

07.12.09

« A paixão termina. Finda porque o apaixonado existe e se mostra tal e qual como é à medida que o conhecemos e o tempo passa...»

Este é um excerto de uma artigo, por onde eu passei os olhos no intervalo para a bica do costume. Um breve apontamento da psicóloga Isabel Leal, que eu leio sempre que posso.

Mas vale a pena reflectir nisto!

Por vezes na esfera do público, debitamos lugares comuns acerca do amor e da paixão, rimos, levamos a coisa para a brincadeira, só que no registo privado, por vezes vemos a coisa de maneira diferente.

Quantos de nós, ao sentir-mos a falta de paixão que se senta no sofá connosco todas as noites, ou ao reflectirmos em  todos aqueles gestos rituais que, de tão repetitivos, se tornam entediantes, não questionamos as nossas escolhas e opções?

Mesmo que genericamente, tenhamos ou estejamos no lugar exacto que queríamos para nós, é inevitável o questionamento.

Será que vale a pena  viver sem o esplendor que a paixão concede?

Não, Não vale!

A paixão dá-nos aquele brilhozinho nos olhos, dá-nos energia e vitalidade, confiança, e uma perspectiva gloriosa dos tempos vindouros.

A paixão dizem é louca, insana, cega, tem um brilho e uma magia tão próprios, um pulsar, um querer, uma chama que nos faz sobretudo e além de tudo, sentir vivos e Viver é, sem sombra de dúvida uma paixão.

Afirmar que a paixão termina apenas porque o outro existe e vai afirmando essa existência à medida que o conhecemos, desfazendo, qualquer possibilidade de idealização, é tão certeiro, tão correcto e tão desesperante que seguramente irá passar ao lado de muitos, o que não parecendo, pode ser muito inteligente.

Perceber madura e sensatamente, que a paixão tem prazo de validade e que o enamoramento, vive da projecção num outro do nosso desejo, não chega para obter consolo mas não pode servir também para nos inibirmos de a viver.

 Todos nós amadurecemos entre as saudades da chama do namoro, e os gestos securizantes da rotina. Uns fingem não ver ou sentir, outros passam a vida a lamentar-se mas , outros e eu incluida, ainda acham que por mais efémera que seja, é a paixão que nos traz coisas inexplicáveis, pessoas incomparáveis e momentos inesquecíveis.

Há ainda felizmente, quem não se limite a passar pela vida e não tenha receio de viver em permanente estado de paixão.

Apaixone-se vá, dê um mimo a si mesmo, todos nós merecemos!

Bom fim de semana.

publicado por Subjectividades às 15:05

momentos meus...

03.12.09

Sorriso bonito!!!

Podia ser o meu ... mas não é, é só o reflexo da minha boa disposição!

Também tenho dias de neura não pensem que não e directamente relacionados com estes dias feios, cinzentos, ventosos, chuvosos, frios, gelados arre......detesto o inverno!!

Mas, já consegui equilibrar um bocadinho as coisas. Este ano por razões que já nem me lembro, fiquei com uns dias para gozar férias de inverno.

Hum.....que delicía...Acordar já com a manhã a meio, andar todo o dia de pijama. Aconchegar-me no sofá com um bom livro e uma boa lareira. Tomar um chocolate quente e ouvir o vento a assobiar lá fora...enfim, só mimos que "mereço" sem sombra de duvida, e depois, lembrar-me de vocês aí, enregelados de guarda chuva em punho a correr para o emprego ahahahaha.

Mas eu faço planos óó.... se faço!! «Amanhã Isabel vais tratar daqueles assuntos pendentes, vais fazer aquelas compras que te faltam, vais tratar dos presentes, vais pôr o blog em dia, vais responder aos emails e coisa e tal e blá blá blá....»

Pois sim!! Já cheira a natal claro, há tanta coisa para fazer, para planear mas bolas é tão bom ficar a mandriar em casa é ou não é?? É tão fácil ficar feliz ora digam lá!

Apostam como aqui a Isabel não vai fazer nada do que planeou??

Um bom resto de semana, depois conto-vos ok??

publicado por Subjectividades às 14:01

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2009

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
16
17
18
19
20
23
24
25
26
27
29
30

comentários recentes

  • Faz 1 mês que o meu Querido E Adorado Pestinha poi...
  • Obrigada pelo comentário :)Temos de ser nós a muda...
  • que posso dizer depois esta festa a desfilar no Sa...
  • Ainda bem k eu tenho uma amiga de verdade!!!!!te a...
  • Obrigada :')Adorei este post! Deixa-me a reflectir...
  • Acho que a música ainda tem muitos segredos por de...
  • Olá Paulo!Não quis de modo nenhum misturar música ...
  • Olá!É um ponto de vista a explorar esse de que alg...
  • Isabel, se considerar que a música é vibração tal ...
  • O assunto e conceito de amizade é muito extenso e ...

favoritos

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

eXTReMe Tracker

mais comentados